Governo Obama perseguiu a Wikileaks, que saiu do sistema bancário tradicional e lucrou uma bolada com Bitcoin.

Tudo começou na metade de 2011. A administração de Barack Obama tentou banir a WikiLeaks, pressionando grandes bancos americanos a negarem pagamento para o projeto.

A Wikileaks é uma organização que publica postagens de fontes anônimas, documentos, fotos e outras informações confidenciais vazadas de governos ou empresas sobre assuntos sensíveis.

Segundo seu fundador, Julian Assange, os Estados Unidos estavam realizando uma verdadeira “caça às bruxas” contra o site, através desse estrangulamento financeiro.

Assim, pessoas que apoiam a organização utilizaram a Bitcoin para contornar o sistema bancário tradicional. E ficou mais uma vez provada o valor da criptomoeda, sua utilidade como dinheiro resistente às tentativas de censura.

Entretanto, Satoshi temia que o apoio à WikiLeaks pudesse trazer atenção hostil de grupos grandes e poderosos, ao que até então era um projeto em andamento. Ainda que não esteja provada uma ligação direta, ele desapareceu pouco tempo depois disso.

Por fim e anos depois, o criador da WikiLeaks, Julian Assange, comentou o ocorrido salientando a ironia da situação. Em outubro de 2017, pelo Twitter, tocou no tema, agradecendo aos seus perseguidores. Segundo ele, graças ao bloqueio, os investimentos da WikiLeaks migraram para esta criptomoeda, gerando um rendimento de mais de 50.000%.

bitcoin criptomoedaFatos sobre Bitcoins

Essa é a uma matéria que compõe uma série que chamamos de “Fatos sobre Bitcoin”. A proposta é compartilhar aqui curiosidades e fatos interessantes sobre as mais famosas criptomoedas do mundo.

Gostou desta curiosidade? Compartilhe essa história entre seus amigos em suas redes sociais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here