O que até um dia desses era impensado no mundo das criptomoedas, hoje já virou realidade. É possível que o valor do Bitcoin cresça tanto que 1 satoshi (0.00000001 BTC) seja valioso o suficiente para fazer pagamentos extremamente específicos.

Isso é incrível porque permite a realização no futuro de uma mudança significativa de como consumimos bens e serviços: micropagamentos. Ou seja, você poderia ao invés de pagar um pacote de TV ou de um provedor online de vídeos, pagar diretamente os produtores pelo quanto exato você consumir.

Exemplo: Pense em um documentário de 1 hora de duração que custa R$ 10. Porém, você começa a assistir e não gosta, interrompe a execução com 30 minutos de filme, nessa lógica o total a ser pago é R$ 5 reais. Você paga a quantia exata pelo que consumiu. Se tivesse desistido antes, com apenas 6 minutos transcorridos, custaria R$ 1.

E isso fica mais evidente quando pensado em termos de Bitcoin, que tem muitas casas decimais. Imagine que você deseja ler apenas uma reportagem de um grande jornal, ao invés de pagar uma mensalidade online ou comprar o jornal na banca. Poderia, digamos, pagar por exemplo uma pequena quantia: 0.000023BTC para ter acesso apenas ao que deseja.

POR EXEMPLO: Na cotação de 1 Bitcoin por R$30.000 reais, a matéria do exemplo acima sairia por 70 CENTAVOS.

Imagine o extremo de alguém querer comprar o valor exato de apenas um único grafite para lapiseira. Será que a valorização do Bitcoin compromete essa utopia do PREÇO PERFEITO?

Não. As criptomoedas tem casas decimais potencialmente ilimitadas, pode ser fracionado como qualquer número inteiro, e sua menor fração é chamada de Satoshi. Esse nome é óbvia homenagem ao criador da criptomoeda.

De modo que 1 bitcoin equivale a 100 milhões de Satoshi.

1 Satoshi = 0.00000001 Bitcoin
10 Satoshi = 0.00000010 Bitcoin
100 Satoshi = 0.00000100 Bitcoin

E assim segue sucessivamente até 100.000.000 Satoshi, equivalentes a 1 BTC. Funciona como os centavos da nossa moeda nacional, só que com 8 casas decimais ao invés de somente duas.

Caso 1 Satoshi chegue a valer, por exemplo, R$ 1, para comprar algo menor que isso seria preciso dividir ainda mais. Neste cenário, o mais provável é que o código do Bitcoin seja alterado para adicionar mais décimos. Esse processo não seria inflacionário, afinal nenhuma nova Bitcoin teria sido criada, basicamente só estaríamos retirando “fatias” menores das já existentes.

Atualmente, na camada Lightning da blockchain, já estão sendo utilizados mili-satoshis! Uma medida insanamente pequena, um milisatoshi (msat) em números equivale a 0,000.000.000.001 Bitcoin.

Fatos sobre Bitcoins

Essa é a uma matéria que compõe uma série que chamamos de “Fatos sobre Bitcoin”. A proposta é compartilhar aqui curiosidades e fatos interessantes sobre as mais famosas criptomoedas do mundo.

Gostou desta curiosidade? Compartilhe essa história entre seus amigos em suas redes sociais!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here