EXITEM MUITAS AMEAÇAS DENTRO DO SISTEMA DE FUNCIONAMENTO DAS MOEDAS DIGITAIS. ENTÃO, VOCÊ QUE DESEJA INVESTIR EM CRIPTOMOEDAS PRECISA SE MANTER INFORMADO.

Criptomoedas se tornaram muito populares nos últimos anos. De modo que a cada dia cresce a adesão para esse tipo de ativo. Por meio delas ocorrem diariamente milhares de transações virtuais. Contudo, como tudo pode ser burlado, as criptomoedas também envolvem crimes digitais. Confira neste post da G44 Brasil.

Uma das grandes vantagens das criptomoedas é o fato de que elas não são regulamentadas e fiscalizadas por nenhum órgão ligado ao governo ou aos bancos. Com isso, o risco de serem congeladas ou confiscadas não existe.

No entanto, não podemos negar, a falta de fiscalização traz também uma série de ameaças. E com certeza, é importante debater e analisar os assuntos relacionados a criptomoedas e os crimes virtuais. Continue lendo esse post da G44.

Criptomoedas e os crimes virtuais: tudo o que você sempre quis saber a respeito

Antes de tudo é importante analisar que os crimes virtuais existem independente da utilização das criptomoedas. O que acontece, nesse caso, é que esse sistema se tornou muito visado por criminosos.

Da mesma forma que os sites de bancos, no começo de sua implantação, correram diversos riscos, as moedas digitais passam pela mesma situação – o que deve perdurar por um tempo, ainda.

Como as criptomoedas são mineradas e guardadas atraves da internet, isso faz com que estejam em constante perigo. Existe ainda a questão de ser descentralizada, ou seja, todos os envolvidos acompanham as transações que são realizadas.

De qualquer forma, o sistema até hoje se mostrou extremamente seguro e resistente às invasões, mas com alguns casos já registrados. Mas, a insistência dos hackers continua.

Como se proteger dos ataques?

Os especialistas oferecem algumas dicas relacionadas à proteção de criptomoedas e os crimes virtuais. Veja o que você pode fazer para diminuir as chances de sofrer um ataque de hacker:

  •  Utilize apenas computadores de confiança:

A começar por onde você acessa a sua conta, utilize apenas computadores que sejam de sua plena confiança. Jamais acesse a sua carteira digital através de computadores públicos como cyber café, lan house etc.

  •  Rede segura:

       O mesmo serve para a rede que você utiliza para se conectar a internet. Utilize apenas WiFi de seu conhecimento, e que seja protegido por senha. Se você acessar uma rede livre terá muito mais chances de cair nas mãos de um criminoso.

  •  Não descuide do antivírus:

        Por fim, quem quer investir em criptomoedas precisa também apostar em um bom antivírus. Manter a máquina segura é fundamental, pois existem muitas ameaças que podem corromper o seu sistema, e roubar os seus dados.

De que forma os hackers agem para tentar roubar as criptomoedas?

Os criminosos agem de diferentes maneiras para conseguir obter os dados referentes as contas dos investidores. Conheça alguns dos truques mais comuns, e mantenha-se em alerta:

  •  E-mails:

        O mais comum é que eles utilizem um e-mail em que se passem pelos fornecedores das criptomoedas. Nesse e-mail, eles solicitam dados, ou até mesmo podem disponibilizar um link que enviar o internauta para um formulário.

        Tudo é muito bem feito, e parece real. Mas depois de fornecer os dados, você estará dando aos criminosos o acesso a sua reserva de criptomoedas.

        Um dos sinais de que você pode ser uma vítima de ataque virtual é receber qualquer oferta de criptomoedas aleatoriamente.

        Se alguém te pede para preencher alguma coisa, enviar algum documento, ou liberar alguma senha em troca de moedas, provavelmente é um golpe.

A melhor maneira de se manter seguro no que diz respeito as criptomoedas e os crimes virtuais é acessando apenas as páginas que realmente sejam de seu conhecimento.

Gostou deste post da G44 Brasil? não se esqueça de comentar e compartilhar!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here